Como ensinar jogos para outras pessoas

Os jogos de tabuleiro são incríveis. A experiência de jogar um jogo com os amigos à mesa é demais! No entanto, antes de chegarmos a essa etapa, temos um processo que, para alguns, pode ser difícil: ensinar regras de um jogo para outras pessoas.

Fazer isso nem sempre é uma tarefa fácil.

Mesmo um jogo que parece simples pode ser difícil de ser ensinado se você não souber a forma certa de passar as informações para os outros jogadores. No caso dos novos jogos de tabuleiro, é ainda mais importante fazer essa explicação, já que os jogos são, quase sempre, 100% novos para a maior parte das pessoas.

Se você ainda não sabe o que são os novos jogos de tabuleiro, se liga neste artigo: “O que são os novos jogos de tabuleiro”.

Claro que, à medida que se explica vários jogos, essa tarefa se torna menos complexa, por isso, vou tentar listar para vocês um passo-a-passo que montei baseado nas minhas experiências nos últimos anos como “explicador de jogos”.

1. TENHA CERTEZA DE QUE VOCÊ DOMINA AS REGRAS DO JOGO

Parece óbvio né? Se você não sabe as regras do jogo, não tem como explicá-las. Eu entendo que muitas vezes é um jogo novo e você está louco para estreá-lo, mas se não tem certeza das regras talvez seja melhor, primeiro, garantir que você realmente saiba todas elas.

2. CONHEÇA SEU PÚBLICO

Com quem você vai jogar? São pessoas acostumadas com jogos? Com conceitos como turnos, rodadas, ações? Não adianta você ter uma metodologia pronta se ela não funciona com quem você está explicando. Por exemplo, tem gente que durante a explicação vai se concentrar e fazer perguntas no final, tem gente que não consegue focar na explicação se tiver alguma dúvida não respondida. Veja o que funciona melhor para quem está na mesa e tente se adaptar.

3. EXPLIQUE O TEMA E MOSTRE OS COMPONENTES

Antes de começar de fato a explicação, diga sobre o que é o jogo. Vocês estarão à procura de tesouros em alto mar, matando monstros numa masmorra ou administrando uma loja de equipamento odontológico? Cite o tema mesmo que ele pareça óbvio, isso dá um contexto para os jogadores e pode fazer com que se interessem mais pelo jogo.

Aproveite para mostrar os componentes que serão usados no jogo e acostume as pessoas com os termos que serão usados na explicação. Se na explicação você falará de “cidades”, “pontos de influência”, “armas” ou coisas do tipo, deixe claro à quê esses termos estão se referindo.

Em Piratas!, os jogadores são piratas em busca de fortuna e tesouros, fazendo de tudo para tornar-se a grande lenda dos 7 Mares.

No jogo, existem 5 tipos de carta. Mostre cada um deles. Não precisa explicar carta por carta agora, só deixe as pessoas saberem que elas existem para fazer sentido quando você se referir a elas.

4. COMECE PELO FIM

Comece a explicação pelo objetivo do jogo, mesmo que seja simples como “Ter mais pontos de vitória”. Você inicia a explicação falando como ganhar para depois mostrar como alcançar aquela condição. Por exemplo, se você fosse ensinar War para alguém, você explicaria que, para vencer o jogo, o jogador precisa alcançar seu objetivo secreto.

5. ESTRUTURA DO JOGO

Dê uma visão geral do jogo, mostrando como o jogo avança, qual a duração do jogo (se o jogo tem um número fixo de rodadas/turnos, ou destacando novamente a condição de vitória), em que ordem os jogadores farão suas jogadas e quais eventos se repetirão durante toda a partida e quais ocorrerão apenas em pontos específicos.

Ainda não é o momento de entrar em detalhes, a intenção é apenas passar uma ideia geral da partida.

No UNO, cada jogador terá 7 cartas em sua mão no início do jogo. O objetivo é descartar todas as cartas da sua mão. O jogo tem um número indefinido de rodadas. Um jogador faz sua jogada, em seguida é a vez do jogador a esquerda dele. Isso acontece até que um dos jogadores tenha se livrado de todas as cartas em sua mão.

6. EXPLIQUE UMA RODADA

Mostre a estrutura de uma rodada padrão do jogo. Essa parte serve para mostrar como funciona e o que os jogadores farão durante o jogo (se rolarão dados, jogarão cartas, etc). Se a rodada for dividida em fases, diga quais são essas fases. Se o jogador pode fazer diferentes ações, diga quais são essas ações. Aqui é um bom ponto pra destacar quais fases/ações são opcionais e quais são obrigatórias.

Não é hora de entrar em detalhes ainda, apenas mostre como as rodadas funcionarão para que todos entendam o fluxo do jogo.

No Banco Imobiliário, o jogador rola seus dados e avança com seu peão aquele número de espaços, em sentido horário. Dependendo de onde ele cair, ele faz um tipo de ação. Se cair em um propriedade sem dono, pode pagar para comprar. Se cair em uma propriedade com dono, deve pagar o valor descrito na carta de propriedade, se cair em uma casa de “SORTE ou REVÉS”, deve sacar uma carta do baralho e realizar sua ação… é por aí.

7. REGRAS

Finalmente é hora de explicar o grosso do jogo, de detalhar as regras de todas as ações, cartas, etc que você citou até esse momento. No caso de cartas ou ações, recomendo explicar das mais simples para as mais complexas, sempre garantindo que todos da mesa entenderam tudo que foi dito antes de passar para o próximo item.

Em alguns jogos de cartas, é impossível explicar todas as cartas do jogo devido a quantidade e variedade. Nesse caso, explique a estrutura de cada carta de modo que todos possam entender todas as cartas no futuro. Pode ser uma boa ideia selecionar algumas cartas aleatoriamente para se certificar de que todos serão capazes de entender as cartas quando o jogo começar.

Tente explicar apenas os eventos mais comuns de cada turno/rodada. Não se preocupe com exceções ainda, é melhor garantir que as pessoas entendam o básico e não sobrecarregá-las com informações que elas ainda não precisam saber.

Esse, provavelmente, é o momento em que os jogadores terão mais dúvidas, então esteja preparado para eventuais perguntas. Se for uma pergunta pontual e pertinente ao momento, sempre é bom respondê-la para que as dúvidas não se acumulem. Se a pergunta for a respeito de algo que você sabe que explicará em breve, tranquilize a pessoa que você logo sanará aquela dúvida.

Em Piratas!, esse seria o momento em que você explicaria como cada carta funciona, começando pelas mais simples como o Rum (Compre 2 cartas), até chegar nas mais complicadas como o Papagaio, que pode ter diversos efeitos.

8. EXCEÇÕES

Aqui você vai apenas preencher os vazios que deixou durante a explicação das regras.

Uma vez que os jogadores já têm um entendimento melhor do jogo, você pode voltar e mostrar os casos que não foram citados nas regras para evitar confusão. Dependendo da complexidade do jogo e da duração da explicação, pode ser recomendável fazer um breve resumo de tudo que foi dito, ajudando os jogadores a juntar todas as informações que você acabou de passar para eles.

Vale a pena destacar novamente termos importantes no jogo e regras que costumem gerar confusão. Por fim, responda qualquer dúvida que ainda possa surgir.

9. DICAS/ESTRATÉGIAS

Dependendo do jogo, pode ser interessante você dar algumas dicas para os novos jogadores do que é importante no jogo e citar estratégias que eles podem tentar seguir.

“É difícil conseguir dinheiro no jogo” ou “Lembre-se que você vai precisar alimentar seu povo na rodada X, usando cereais” são dicas sempre bem-vindas.

Obviamente, é importante deixar que os jogadores tomem suas próprias decisões durante o jogo e aprendam com eventuais erros que cometam, então não interrompa o turno dos jogadores a não ser que você perceba que ele está cometendo um erro por falta de entendimento das regras.

Bom, é isso aí galera. É claro que sempre há exceções e nem todos os jogos podem ser explicados da mesma maneira. Tomara que esse passo a passo seja útil pra vocês e espero que vocês o utilizem pra explicar vários jogos e ajudem a levar os novos jogos de mesa pra cada vez mais pessoas.

Formado em engenharia e amante dos jogos de mesa modernos, atualmente divide seu tempo livre entre jogos, cachorros e o ódio por azeitona. Você pode acompanhar fotos dos jogos (e talvez dos cachorros) no meu Instagram.

One Comment

Leave a Reply